MESA DE SETÚBAL / CASA DA BAÍA2018-08-13T10:35:21+00:00

Project Description

MESA DE SETÚBAL / CASA DA BAÍA

Freguesia: União de Freguesias de Setúbal
Concelho: Setúbal
Região: Lisboa
Região Vinícola: Península de Setúbal

A Casa da Baía, edifício do séc. XVIII situado no típico Bairro de Troino, outrora convento e, atualmente, um dos mais bonitos centros de promoção turística do país, apresenta na sua mesa uma iguaria que, durante muito tempo, foi mais apreciada fora do país, que na cidade que a produz: a Ostra! As Crassostrea angulata, espécie tradicional do estuário do Sado, ainda hoje são conhecidas em França como Les Portugaises. São apresentadas aqui como entrada da refeição, ao natural, com um pouco de limão.

“Apá soce, tá o salmonete a montes!”. O salmonete, tal como a pronúncia, é de Setúbal, e surge nesta mesa como prato principal, “assado” no carvão, com o seu fígado emulsionado em manteiga.

De Azeitão chegam o Queijo de Azeitão DOC, para iniciar ou finalizar a refeição, o vinho branco, fresco e frutado, da Quinta do Alcube, situada no Parque Natural da Arrábida, e o Moscatel Roxo, de José Maria da Fonseca, uma das mais preciosas pérolas do país vínico, em particular, da Península de Setúbal.

Também o pão, sempre presente nas nossas mesas, seja para acompanhar o peixe ou com queijo, é da cidade, feito em forno de lenha, com textura suave e côdea estaladiça.

A entidade promotora da MESA SETÚBAL – CASA DA BAÍA DE SETÚBAL é a CÂMARA MUNICIPAL DE SETÚBAL.

CONHEÇA EM DETALHE OS 7 PATRIMÓNIOS DESTA MESA

GASTRONOMIA

Original da localidade do Faralhão, contígua à Reserva Natural do Estuário do Sado. Pão cozido em forno de lenha, de trigo, com fermento natural e textura suave, com côdea estaladiça.

A atual revitalização da ostreicultura tem cariz histórico-económico. As condições únicas, a nível de nutrientes e temperatura, garantem a singularidade do sabor das ostras no estuário do Sado.

De cor alaranjada e elevado valor comercial, é um peixe de águas profundas, dotado de um sabor característico e intenso, apresentando, igualmente, propriedades nutricionais importantes.

Produção iniciada em 1830 pelo beirão Henriques de Paiva, com de leite cru de ovelha. O sabor forte e textura amanteigada são singulares, e devem-se às condições proporcionadas pela Serra da Arrábida.

VINHOS E AZEITES

De cor amarela forte, aromas pronunciados de fruta branca madura e floral característica da uva Moscatel. Castas: Fernão Pires e Moscatel, com teor alcoólico de 14% Vol.

Moscatel Roxo de Setúbal, 1997, da coleção privada de Domingos Soares Franco, apresenta uma cor rosada e um paladar elegante conferido pela harmonização de citrinos, flor de íris, frutos secos e mel.

ROTEIROS

Edifício remodelado pela autarquia em 2011, é considerado a sala de visitas do município de Setúbal. Permite a realização de eventos oficiais, culturais, gastronómicos e de entretenimento variado.