Torres Vedras, Lisboa

Festas e Feiras

VOTE JÁ: 760 207 827

O Carnaval de Torres Vedras é um evento quase secular, tendo a sua origem em 1923.
Fiel às suas tradições, o Carnaval de Torres Vedras tem nos seus Reis, nas Matrafonas, nos Carros Alegóricos, nos Cabeçudos, nos Cocotes e no Boneco do Entrudo os seus principais símbolos e tradições.
Desde 1988 que o Carnaval de Torres assume um tema, que surgiu de forma a inspirar os artistas plásticos torrienses na conceção dos carros alegóricos e os foliões nas suas máscaras.
Assumindo-se como o Carnaval mais português de Portugal, com toda a sua sátira politica, social e desportiva, local, nacional e internacional, o Carnaval de Torres Vedras realiza-se durante 6 longos dias.
Tem início à sexta-feira de manhã, com a realização do Corso Escolar onde participam mais de 8.000 foliões de toda a comunidade escolar, de miúdos a graúdos. Durante a tarde, o Baile Tradição, dedicado aos mais velhos. Já à noite, a Chegada e Entronização dos Reis, onde o presidente da Câmara Municipal entrega as chaves da cidade a Suas Altezas Reais, os Reis do Carnaval de Torres, para 6 dias de reinado.
Sábado é noite do Corso do Concurso dos Grupos de Mascarados, com cerca de 40 grupos a concurso e 2.000 participantes. O Tó’Candar, camião de grandes dimensões onde atua uma banda ao vivo, arrasta também uma multidão em seu redor, o que se repete nos corsos dos dias seguintes.
Domingo e terça-feira são dias de Corso Diurno, dia em que os carros alegóricos saem pela primeira vez à rua, carregados de sátira politica, social e desportiva, local, nacional e internacional. Também os Cabeçudos, os Zés Pereiras, os Cavalinhos (bandas de música), as Matrafonas e os grupos de mascarados.
Segunda-feira é noite do Corso Trapalhão, a maior desorganização organizada, onde todos podem extravasar nas suas brincadeiras, sendo que os Carros Espontâneos, carros transformados por grupos de foliões, assumem papel de destaque.
Quarta-feira, de cinzas, começa com um desfile recheado de tochas e velas e que percorre o centro da cidade, sucedendo-se um julgamento pleno de alusões satíricas em pleno Tribunal de Torres Vedras. Ao julgamento do Rei segue-se a queima do Boneco do Entrudo.
Além dos corsos aqui descritos, o Carnaval de Torres Vedras caracteriza-se também pela animação que invade 4 praças, as ruas do centro históricos, os bares e as discotecas da cidade, até o sol raiar.
Atualmente o Carnaval de Torres Vedras tem cerca de meio milhão de foliões, vindo de todos o país e também do estrangeiro, que, durante 6 dias, assumem um papel no evento, são parte integrante em cada um dos momentos descritos anteriormente, dado que o Carnaval de Torres não apresenta barreiras físicas, convida à participação espontânea de todos.
Um estudo realizado em 2013, 2014 e 2015, por investigadores do CiTUR – Centro de investigação Aplicada do Instituto Politécnico de Leiria, mostra que o Carnaval de Torres Vedras tem um impacto na economia local de cerca de 9 milhões de euros.
Também a nível mediático o Carnaval de Torres Vedras faz jus à sua dimensão. Segundo o estudo da Cision, de 2019, o Carnaval deu origem a 693 notícias a nível nacional, com um valor de 29,3 milhões de euros. E além da cobertura mediática nacional, é com regularidade que o evento recebe as principais agências noticiosas internacionais, como a Associated Press, Reuteurs, Agência Efe, Xinhua, entre outras, fazendo desta chegar desta forma o Carnaval mais português de Portugal aos “quatro cantos do mundo”.
Como frequentemente dizemos, o Carnaval de Torres Vedras é uma brincadeira muito séria.

Leave a Reply