Mogadouro, Bragança

Festas e Feiras

A feira dos Gorazes é uma das feiras anuais mais antigas de Portugal e, seguramente, a mais importante e antiga feira das Terras de Trás-os-Montes. O certame tem lugar em Mogadouro, pelo menos, desde os dias 15 e 16 de outubro de 1760, ano em que aparecem as primeiras referências escritas sobre o evento, embora exista quem defenda a sua origem medieval.
Se não é de estranhar a origem anterior ao século XVIII desta Feira, motivo de maior surpresa e alvo até de uma certa controvérsia é a própria designação do certame. É que apesar de Goraz ser nome de peixe o que é facto é que na Feira todos se juntam para comer carne. Tamanha contradição parece encontrar explicação na história e na origem da própria palavra. Goraz será o resultado da evolução da palavra Voraz relacionado com
relacionado com a grande apetência para o consumo de carne de porco e vitela, neste período. De acordo com A. Mourinho, autor de uma obra dedicada a esta feira o termo Gorazil, Corazil e Goarazel têm a sua raiz na palavra grega Koipás (que se lê Goiráz ou Koirás), a qual significa carne de porco. O “Goarazel” ou “Goraz” seria um imposto pago pelos de Mogadouro aos senhores destas terras. O tributo, pago em carne de porco (localmente designada marrã) por altura da Feira anual, deu nome ao evento e popularizou o consumo e compra da marrã durante a Feira. A tese não é consensual, mas foi ganhando expressão e os mogadourenses continuam a pagar o imposto à tradição durante os dias do evento. À marrã juntou-se, atualmente, a posta transmontana e poucos são os que resistem a degustar um bom naco de carne durante os Gorazes.
Esta feira com nome de Peixe que afinal é carne vai beber as suas raízes atividades relacionadas com o mundo rural. Mogadouro, terra onde a agricultura e pecuária sempre assumiram um peso significativo na economia local, fazia da sua Feira dos Gorazes momento de celebração do final das colheitas, onde os agricultores vendiam os seus produtos e se abasteciam para o inverno. De mercado de rua anual, foi conquistando outra dimensão, conquistou um espaço expositivo próprio e soube aliar a componente económica à turística, lúdica e cultural, e ganhou mais dias (4 no total) mantendo sempre os dias 15 e 16 de outubro como os dias principais, com a realização da feira de rua anual. Este tem sido o caminho trilhado pela organização, a cargo da Associação Comercial e Industrial e Câmara Municipal, que querem continuar a afirmar o evento enquanto fator potenciador da “Economia Rural”.
Assumindo-se como um grande acontecimento socioeconómico para o concelho é responsável pela atração de milhares de visitantes a Mogadouro. Se durante séculos se realizou ininterruptamente, o adaptando o figurino às exigências dos tempos, objetivo será sempre o de a manter viva e em crescente dinamismo.

Leave a Reply