Elvas, Portalegre

Artesanato

VOTE JÁ: 760 207 741

A Ronca é o instrumento musical que acompanha os cantos de Natal em Elvas. Membranofone de percussão constituído por uma estrutura cilíndrica com uma pele esticada numa das aberturas. É percutido por uma cana fixada no centro da membrana. O executante, com a mão molhada, fricciona a cana fazendo vibrar a pele e produzir um ronco.

Os homens juntam-se em grupos informais, cada um traz a sua Ronca, e tocam em conjunto e cantam à vez, improvisando sobre uma base poética tradicional.

Em Elvas, as Roncas guardam-se em casa e só são usadas perto do natal. “As Roncas não se emprestam” é um provérbio de Elvas que avisa quem empresta a sua ronca de que corre o risco que a devolvam danificada e imprópria para os cantes de natal.

O Fabrico:

Cerâmica
Prepara-se a “Péla”, pedaço de barro limpo, bem decantado, selecionado pela sua elasticidade, amassando até estar pronto para ser trabalhado.
Leva-se a Péla para a roda de oleiro, onde, com as mãos e a ajuda da cana d’oleiro, se molda o recipiente de barro que serve de caixa-de-ressonância ao instrumento. Este recipiente tem uma forma de base cilíndrica com as duas extremidades abertas. Numa das extremidades molda-se um rebordo, que ajudará a manter a membrana fixa. Este recipiente tem uma forma mais abaulada ou mais direita por escolha do artesão. O interior do recipiente é estriado para melhorar a qualidade sonora. A parede exterior é marcada por uma sequência de desenhos feitos com a ponta da cana de oleiro no barro fresco, enquanto o objeto gira na roda. Os desenhos imprimem a marca decorativa distintiva do artesão.

Uma vez moldado, o recipiente é deixado a secar até estar pronto para a cozedura em forno.
No forno, o barro é cozido numa lenta sequência ascendente de temperaturas.

Cana
A apanha dos rebentos de canas silvestres é feita no princípio de Novembro, deixa-se a secar um pouco, e em Dezembro é preparada para ser incorporada no instrumento. Na preparação seleciona-se uma secção da cana com o bolbo da raiz, que é essencial na fixação desta à pele. Com uma navalha afiada, descasca-se a cana para que a mão do tocador deslize com facilidade pela superfície e trabalha-se o rebordo da raiz de modo a ser mais fácil amarrar a pele à cana com um fio de norte. Em seguida deixa-se a cana a apanhar um pouco de calor que a amolece o suficiente para ser endireitada com movimentos de mão.

Pele
Embora se usem muitos tipos de pele no fabrico da membrana da Ronca, a pele de cabrito é a preferida.

Montagem
Uma vez selecionadas a pele e a cana que vão servir para uma ronca, ata-se a cabeça da cana ao centro da pele com o cordel. Em seguida, com o conjunto, tapa-se o gargalo do recipiente, tendo o cuidado de colocar a cana no centro da abertura. Fixa-se o conjunto ao barro amarrando vigorosamente com o fio de norte. A pele tem que ficar bem esticada para funcionar como membrana musical. Apara-se a pele nos bordos. Deixa-se algum tempo em repouso até a pele clarear. A ronca está pronta.

Leave a Reply